Wednesday, October 11, 2017

College for All

de:Huck Gutmaninfo@ourrevolution.com
responder a:info@ourrevolution.com
para:Paulo Augusto Lacaz <sccbesme.humanidade@gmail.com>
data:10 de outubro de 2017 21:19
assunto:College for All

Our Revolution


Paulo Augusto,

Senator Bernie Sanders just finished laying out his plan for College for All. As Senator Sanders' former Chief of Staff, I recognize how close the issue of college affordability is to his heart.

As a professor at a public university, I am deeply familiar with the fact that every year far too many students take on thousands of dollars in debt. The high bar of college costs is unjust, especially since it creates a barrier for the next generation of Americans who need higher education to compete in a global economy. It is my firm belief, one that I share with Senator Sanders and Our Revolution, that access to a tuition-free public college education should be a right of all Americans.


Can you imagine having to drop out of college because of the burden of overwhelming debt? This happens far, far too often. The high cost of a college education keeps hundreds of thousands of bright young people from enrolling in college every year, while the countries we are competing with—Germany, France, Sweden and others—guarantee a public college education tuition-free.

Equally bad is that millions of Americans—students and former students—are loaded down with college loan debt. Many people do not know that student debt cannot be discharged even in bankruptcy, which means that millions of Americans are doomed to pay off onerous student debt throughout much of their working lives.

It is time for the United States to join the rest of the industrialized world. Today, student debt totals over $1.5 trillion, keeping people saddled with that debt from buying a home or car, or building the funds necessary to send their own children to college, or saving for retirement.


Senator Sanders' plan would require the federal government to pay for two-thirds of the cost of public college tuition, with only one-third coming from the states. This new program would not increase the federal deficit since its entire cost will be covered by a tax on those who invest in stocks, bonds, and derivatives.

A generation ago, people could secure a good-paying job with a high school diploma. The world has changed: we need to expand the right to publicly supported K-12 education to include universal pre-kindergarten and public college.

In solidarity,

Huck Gutman
Board Member
Our Revolution
PAID FOR BY OUR REVOLUTION
603 2ND ST, NE
WASHINGTON, DC, 20002

Not authorized by any candidate or candidate committee. Our Revolution is a 501(c)(4) organization. Donations to Our Revolution are not deductible as charitable contributions for Federal income tax purposes. All donations are made to support Our Revolution’s general mission and are not designated for any specific activity.
This email was sent to sccbesme.humanidade@gmail.com. If you need to update or change your information or email address, click here to update your info. Email is one of the most important tools we have to reach supporters like you, but you can let us know if you'd like to receive fewer emails. We'd hate to see you go, but if you need to do so, click here to unsubscribe. Help us continue transforming American politics and fighting for progressive candidates and causes by contributing to Our Revolution here.



Sunday, October 8, 2017

OS VÍCIOS HUMANOS


      Quero iniciando este artigo, de cunho científico, descordando do Eminente Ministro das Relações Exteriores; do Supremo Tribunal Federal,  Procurador Geral da República e Magnífico Professor de Direito e inveterado Advogado Criminalista, que foi o Dr. Evandro Lins e Silva, Maranhense, terra de um dos maiores cientistas políticos, sociólogo e moralista que o Brasil já possuiu, o Senhor Raimundo Teixeira Mendes, terra natal de grandes cérebros brasileiros, e infelizmente também, para não fugir a regra, de terríveis corruptos, e por ter se manifestado não cientificamente, isto é, não positivamente, a respeito da correta solução a ser dada a um dos vícios mais em moda, neste momento, no Mundo, e principalmente nos grandes centros, das grandes metrópoles brasileiras; resolvi escrever estas linhas:
Quando li a Entrevista, do Dr. Evandro Lins e Silva, que coube a Revista ÉPOCA, No 231,  de 21 de Outubro de 2002, a realizar, com o título “Legalize-se a droga, (Legalizar jamais), efetuada pela jornalista Martha Mendonça, tomei coragem, de que a muito me faltava, sobre este tema, dito polemico para muitos, mas de soluções científicas, de a muito, para os mais bem aquinhoados de conhecimento científico, no campo da Sociologia e da Moral; coloquei-me a pensar, para escrever, quando me veio à mente algumas máximas e uma Lei Natural, aplicável ao assunto em causa: 
·        As Leis da República, só vedarão os atos que prejudiquem a Vida em Sociedade; ou imediata ou mediatamente. José Bonifácio de Andrada Silva, Patrono da Independência.
·         Combater os Vícios pela Força é  bobagem. Evandro Lins e Silva.
·        Os Direitos de cada um cessam, quando prejudicam o Cumprimento dos DEVERES e o SUCEGO dos Outros. Paulo Augusto  Lacaz
     
·       Segundo Augusto Comte, na 12a Lei da Fatalidade Suprema, conhecida como Lei da Mutualidade  ou Equivalência ou da Ação e da Reação, que faz parte do subgrupo de Leis da Modificabilidade da Ordem Universal, pertencente ao Grupo de Leis Naturais, do Dogma Científico, da Doutrina Positivista, com o seguinte enunciado:
Existe, por toda parte,  uma equivalência necessária entre a reação e a ação ; se a intensidade de ambas for medida  conforme a natureza de cada  conflito” - Generalização Universal do Princípio de Newton  e Huyghensque aplicada em Sociologia e Moral, nos dá condição de prever, caeteris paribus, os acontecimentos e sugerir soluções, sobre o tema em análise; vejamos primeiramente uma visão geral desta Lei, aplicada nestas duas Ciências:
Na Sociologia :  A Ação  da Sociedade sobre a Família, quando normalmente colabora para diminuir  o poder material do homem ou o poder espiritual da mulher, desenvolve como reação imediata, o enfraquecimento dos laços  domésticos.

Uma análise  sobre a Vida Política  das Nações Modernas mostra como a Lei da Ação e da Reação verifica perfeitamente  todas as perturbações geralmente provocadas pelos próprios governos em suas ações empíricas.(ações ou concepções empíricas , que não estão relacionadas a nenhuma doutrina  ou princípios explicitamente definidos e generalizados). Ações estas realizadas sem nenhuma previsão, sem atingir ou visar os verdadeiros interesses da coletividade.

Exemplo o Conflito no  Oriente  Médio:  Judeus versos Palestinos, com base no fanatismo,  inerente ou próprio ao caráter  teológico dos povos em questão.

Os governantes muitas vezes dominados pelo orgulho superexcitado, como conseqüência do próprio exercício do poder, sem as luzes morais e científicas  necessárias para a ação sistemática, tendem logo, não só a invadir as  atribuições  espirituais, como também a desrespeitar as maiores conquistas sociais, realizadas pela nossa espécie, principalmente em relação às liberdades públicas .

Na Moral :  Nesta ciência,  a principal ação exercida pelo homem é aquela  que se realiza pela EDUCAÇÃO; e que corresponde, como reação o aperfeiçoamento da natureza Humana, no seu tríplice aspecto, afetivo , intelectual e prático. 

É a Educação uma ação modificadora que se exerce sobre a nossa natureza  e , como toda ação provoca uma reação equivalente. Tal reação, que se manifesta por modificações mais ou menos profundas, da Natureza Humana, deve ser convenientemente prevista em seus resultados, o que constitui a máxima  dificuldade do trabalho humano. Os meios de que  dispomos para a educação  correspondem à ação; os resultados a que  devemos atingir,  e que são devidamente previstos, constituem  a reação. A Virtude  é uma ação diretamente destinada  a provocar uma reação em favor de Outrem.

Quer o esforço realizado  venha beneficiar diretamente a determinado  indivíduo, ou  venha a diluir-se de modo geral, para que possa ser aproveitado, com maior ou menor intensidade e precisão por uma sociedade mais  ou menos extensa; em qualquer destes casos, há sempre uma ação representada pelo esforço individual visando o benefício de Outrem, e uma reação equivalente representada  por este próprio  benefício.

"Um problema de ordem moral , tem que ser estudado, pela  ação e reação  moral, com a análise das conseqüências dos  atos  "- Augusto Comte

Depois desta visão sucinta e filosófica de cunho científico, achei por bem apresentar soluções de ordem Social e de formação Moral, que venham amenizar os conflitos sociais, devido aos Vícios Humanos, o Jogo, o Fumo, o Álcool e os Tóxicos, que hoje em dia  presenciamos; jamais para legalizar ou autorizar a droga, e sim para liberá-la, o que é substancialmente diferente.

O JOGO

Lendo um artigo editado no Jornal Correio da Manhã, de  21 de fevereiro de 1932, redigido pelo  positivista Reis Carvalho, cujo titulo é “O Governo Republicano e o Bem Público”, resolvi destacar um trecho, onde o assunto em evidencia, é o mesmo, após 70 anos - O JOGO, cujo projeto de lei foi aprovado, em 1998, na Câmara dos Deputados e agora  tramita  pelo Senado Nacional; não sei se infelizmente já foi aprovado.

Não há duvida que, se os Parlamentares  brasileiros soubessem que  na Ciência Sociologia Positiva, existem Leis Naturais, como na Matemática, na Astronomia, na Física, na Química, na Biologia e na Moral Positiva, jamais aprovariam umas leis humanas, que viesse a legalizar o Jogo. Pois não é da alçada do Poder Temporal decidir  este assunto.

A jogatina é um dos males mais funestos  que atormentam  a Sociedade. Não é preciso encarecer desastrosas conseqüências pessoais, domesticas e cívicas, do condenável e condenado vício”.

Como combatê-lo ? Proibi-lo , pelo Estado, pelo Governo, ou melhor dizendo pelo Poder Temporal?  

Não.

O hábito de jogar  é  de ordem espiritual e moral; como fumar, beber, tomar tóxico, etc. Mas, se  no entanto  o exercício do jogo, perturba a ordem material, se o jogador alicia  menores  para a casa de tavolagem; vem-se jogar na via pública, se comete atos, em que a sua liberdade de jogar, ofende as dos que não jogam; se o funcionário público é perturbado pelo jogo na sua função profissional, e por fim se  as desordens  morais provocam desordens materiais, surge então contra estas, as medidas proibitivas do Estado, com as leis humanas, os decretos e as sentenças.  

Quanto ao vício em si, ao mau hábito, isto fica sujeito simplesmente à ação  moral dos que devem combatê-lo : os Sacerdotes das Religiões - antes de tudo, com o exemplo - não jogando - e depois pelo conselho aos jogadores e finalmente,  substituindo  o poder da repressão pelo poder  repreensão, apontando-os à  desconsideração pública. Tocando desta forma, na consciência do jogador, estimulando  o sentimento de vergonha e brio, fazendo-o mudar de conduta, mostrando-lhe as  conseqüências dos seus atos.

É claro que estas medidas de ordem moral, têm efeito lento, mas são as únicas  compatíveis  com a natureza deste mal.

A intervenção do Governo Temporal, à reação material pela multa e pela  cadeia, apenas redunda em tornar o vício hipócrita, em proteger os jogadores ricos e perseguir  os  jogadores pobres.

A única ação do  Estado compatível com o principio da Separação dos Poderes, e portanto com o verdadeiro Regime Republicano Sociocrático, é não oficializar o Vício, tornando-a fonte de renda.

Daí, não lhe ser lícito, sem grande escândalo moral, proteger a Jogatina, mantendo as Loterias, os Cassinos etc. - Hoje em dia, as loterias esportivas, são formas completas  de apoio  pelo vício à Sociedade.

Não devemos proibir e nem autorizar, isto é, jamais legalizar, é a conduta Republicana Sociocrática.

Como a jogatina, outros  vícios também  infestam a Sociedade Moderna : como  fumo, o alcoolismo, os tóxicos, a prostituição etc. Para todos a solução é a mesma ; combater sacerdotalmente, através dos órgãos de Opinião Publica - Imprensa - com ausência  de qualquer  interferência  do Estado, pró ou contra  ao vício, salvo medidas  indiretas, que  evitem, seja o Governo Temporal um colaborador, na sua manutenção ou propagação.”

Por esta razão, jamais o Governo Temporal deve legalizar o Jogo ou participar dele, como o faz hoje em dia, com a  CEF.

Por isto, não há necessidade do Senado Brasileiro vir a legalizar o jogo; se já não legalizou.

Devem existir leis humanas, que possam indicar os locais e o limite de idade dos jogadores e as normas punitivas, caso o jogo  possa levar `as  indisciplinas de ordem material, com conseqüências danosas - e jamais o Governo fazer do jogo, fonte de arrecadação de impostos e de trabalho, como justificativa para  sua legalização.

Com relação a corrupção sobre os órgãos repressores, a Imprensa é livre para mostrar à opinião pública, e esta, sobre pressão, solicitar a ação do Governo Temporal.                       
           
Quanto ao Jogo do  Bicho, já deveria ter sido liberado, não mais ser contravenção penal. Nesta primeira fase deixar nas mãos dos atuais bicheiros o controle deste vício. Com esta atitude, fica reduzida a zero a corrupção junto aos órgãos policiais. Acabando a corrupção junto à polícia. O Governo não tem que criar a loteria do jogo do Bicho; se criar, o jogo paralelo vai continuar existindo e a corrupção também.


O FUMO

            Este vício que recentemente vem sendo combatido pelo Estado; que deveria ser combatido pelas Igrejas, cujo  resultado seria muito mais eficiente e satisfatório, tem trazido um efeito benéfico, com grandes dispêndios de propaganda, revelando aos potenciais consumidores as desgraças que esta praga causa ao soma e ao psiquismo humano.

           
            É evidente que o estadista capitalista, só se preocupou em combater o vício do tabaco, devido este vício ter criado uma série de doenças, que provocam uns gastos excessivos do Estado, no que se refere ao combate das patologias decorrentes. O problema foi visto como custo-benefício, e não um plano para o  Bem do Ser Humano. A maioria quase absoluta que detêm o Poder não pensou em fazer o bem dos outros, e sim, como reduzir custos.

O ÁLCOOL

            Este vício é lento, gradativo e mortal. É outro vício que o governo ganha com Imposto. Mais um erro do Poder Temporal.  Prejudica as gerações futuras, em nível da idiotia. Promove a indução de grandes crimes. E o único alerta legal a este respeito, do não consumo, é que encontramos bem escondido, empoeirado, no escuro , uma tabuleta, em bares e restaurantes – com os dizeres: “Proibido a Venda de Bebidas Alcoólicas a Menores de 18 anos” . Lei No ??? que não é cumprida. Propagandas de cervejas e outras  nas mídias, associando ao sexo, para engrandecer os princípios imorais, é o que se encontra, em grande moda hoje em dia pelas bandas ocidentais.

            O exemplo de sua proibição foi tomado pelos USA, na década de 30, do século passado, e a corrupção tomou conta da polícia, do judiciário, e  os crimes  se avolumaram, e nada de útil trouxe para  os americanos da época. A Lei Seca foi abolida. E as Igrejas Protestantes, começaram uma campanha, de mostrar às suas ovelhas o mal que as bebidas alcoólicas fazem ao Ser humano. Esta é a razão de quem procura a Bíblia dos Crentes, são convencidos de largar o Álcool. O caminho é por ai, em todos os vícios, por todas as Religiões.

            A catequização deste combate a todas as drogas devem ser Pastoral e não Temporal.
           
O TÓXICO

Alias todos os vícios são tóxicos, alguns refletem, no campo material, que por sua vez interferem em perturbações sentimentais, intelectuais e práticas do comportamento do Ser Humano.

Como o fumo, o álcool, o jogo, o excesso de sexo, principalmente na puberdade, estão liberados; vai quem quer, assume quem deseja; e algumas regras são alertadas para  que os outros sejam respeitados; porque não agir com o mesmo critério para os Tóxicos? 

Tomando certos cuidados, para eliminarmos o mau às crianças e a juventude, para não se tornarem viciados, mostrando as conseqüência do uso destas drogas.

Vou aqui sugerir várias ações simultâneas, e  de freqüência constante, para prevenir abusos e incoerências, com leis fortes e punitivas, afim de eliminar as ações ilegais , das guerras entre quadrilhas, corrupção nas polícias, e etc.

Ao se liberar, mas não legalizar ou autorizar, para que o tóxico não se torne fonte de renda (imposto), e que por um controle de qualidade, em locais a serem definidos, como descrito abaixo, o usuário, terá que se registrar como viciado, no Hospital do Vício ( Estadual ou Federal).

Por exemplo no Rio de Janeiro; um Hospital na Barra e outro na Baixada Fluminense .

A venda e a aplicação do Tóxico liberado, será feita nestes Hospitais, para pessoas acima de 21 anos.

Estes Hospitais, possuem médicos e carcereiros do tóxico. Onde o viciado compra e toma o tóxico, com seringa descartável, evitando assim a transmissão de outras doenças infecta contagiosas, como o AIDS , e etc. E terá assistência médica hospitalar em caso de crise, ou conturbação psíquica. Onde ficará internado até a crise passar. As vendas praticadas fora do Hospital do Vício, são ilegais e os crimes praticados pelos vendedores ilegais, serão muito mais severas que qualquer outro crime praticado, e indicado no código penal brasileiro. Nenhum consumidor irá procurar fonte de tóxico que não sabe a origem de sua qualidade química, não quer mais correr o risco. As vendas clandestinas  chegam quase a zero.

Caso o usuário, cometa delito, ao sair do hospital, os crimes  oriundos praticados pelo toxicomaníaco, terá punição severa, bem acima dos crimes praticados pelos não viciados.

As empresas que por ventura possuírem empregados viciados, terão que providenciar tratamento, psíquico e orgânico para fazê-los  sair deste vício, e ao mesmo tempo lembrá-los  da perda do emprego. Os Recursos Humanos destas empresas deveriam encaminhá-los para os sacerdotes das religiões que eles pertencem.(Para aqueles que acreditam em Deus – Os Sacerdotes, os Pastores, Os Pregadores Espíritas; para os Fetichistas, os lideres destas religiões; para os Metafísicos, os Psicólogos; e para os Cientistas Positivistas, o Sacerdote Positivista)

Quanto às crianças e os adolescentes, eles terão em suas escolas, durante todos os recreios, todos os dias, um telão passando constantemente, durante no mínimo 15 minutos, assuntos das conseqüências do uso dos Vícios. O Filho vendendo os  patrimônios dos pais para conseguirem dinheiro para compra do tóxico; batendo nos pais; mostrando o drama, a desgraça; as conseqüências dos Vícios.

             Redações sugerindo como combater o uso do tóxico, com prêmios etc.

Os meios de comunicação – a mídia, passarem novelas e filmes previamente aprovados, parra estarem sempre mostrando cenas dantescas das conseqüências da prática dos vícios, em vários horários; com freqüência , durante todo o ano. Por mais de 20 anos; ou para sempre.

Os fabricantes de produtos vendidos para crianças e adolescentes, em supermercados e lojas de alimentação, mostrarem nas suas embalagens, indicações  para educar o não uso dos tóxicos, do fumo, do Álcool e do jogo.
           
            Desta forma só vai nesta quem é fraco e já ia mesmo sem nenhum alerta.

            Os desavisados não entram mais nesta, se ocorrer um plano desta ordem, poucos fracos teremos notícias de estarem freqüentando o uso deste vício.

            Assim, desaparecerão os bandos dos morros, que guerreiam  entre si, as vendas irregulares de armas; os policiais corruptos; os aviãozinhos e todas as irregularidades dos criminosos, que hoje em dia, dependem do tóxico para  ficarem ricos e poderosos.

Não sou a favor de liberar plantação e industrialização de tóxicos. Estas fases têm que ser violentamente combatidas.

Vai ocorrer o acréscimo do preço unitário e com as outras medidas apresentadas neste artigo, a queda de conflito nos grandes centros e no país como um todo, será substancial.

Jamais o governo introduzirá fonte de renda, nestes "produtos".

Isto é, Impostos. É o mesmo que instituir impostos na atividade da prostituição.
   
            Anexo um Artigo de minha autoria – Aos Psiquiatras e Neurologistas II, para poderem melhor aquilatar o assunto de forma científica, por atitudes que devemos tomar objetivando resolver de uma vez por todas estas patologias sociais, que nos defrontamos hoje em dia.



SAÚDE, COM RESPEITO E FRATERNIDADE,

PAULO AUGUSTO LACAZ



                                                Aos Psiquiatras e Neurologistas II
  
Aos

       Psiquiatras, Neurologistas, Psicólogos e Sociólogos


“A idéia do Homem isolado da Humanidade é uma abstração, tão viciosa em Medicina como em Política”.  A . Comte

“O Homem se agita e a Humanidade o Conduz”.  A . Comte

                Não sou nem psiquiatra nem neurologista, no entanto um estudioso autodidata em psicologia e sociologia científicas, mas dentro do conceito acadêmico, sou químico; mas como pela Doutrina Positivista somos ensinados a estudar tudo que se relaciona com as Artes e com as Ciências, sem nos tornar charlatões, achei por bem externar aquilo que venho aprendendo, nesta área em questão, para pôr aos estudiosos e especialistas,  que realizem suas análises aos temas abaixo descritos, com vista a não satisfazer meu egoísmo, e sim procurar propagar para terceiros, isto é, Viver para Outrem, afim de que haja melhoria na Ordem que nos domina.    
               
                Sendo a Medicina uma Arte, que até pouco tempo foi empírica, e hoje é sistemática, devido as Ciências Biologia,  Química, Física, Astronomia e Matemática, e para aqueles que tiveram a sorte de poder ter lido as obras de Augusto Comte, tomando conhecimento das Ciências Sociologia Positiva e Moral Positiva, por isso, conseguindo perceber as grandezas das influencias científicas entre o Homem e a Humanidade e vice versa, e seus reflexos ao campo da Saúde e dos quadros patológicos psicossomáticos do Ser Humano; vou procurar resumidamente transcrever os comportamentos deste Aparelho – “A Alma” ou Psique ou Mente , vista de forma científica; que esclarece toda esta barafunda teológica  e metafísica, infelizmente ainda dominante.

                Por forma didática, segue em anexo o Quadro Sistemático da Alma, e descrições das varias modalidades de se analisar o Encéfalo. Bem como uma palestra proferida pelo autor deste artigo – A Harmonia e os Transtornos Mentais, que esclarece detalhes sobre este tema.

Como o tema é vasto, achei por bem escolher uma diretriz, a fim de disciplinar e nortear a exposição, tomando como tema principal A Influência dos Fatores Sociais, sobre a Degeneração da Espécie Humana. Tese Apresentada pelo Psiquiatra Dr. Jefferson Sensburg de Lemos, em 1902, que ainda possui fortes traços de metafísica, em suas exposições, no entanto serve de roteiro, para este trabalho. Tese esta realizada na cadeira de Clinica Psiquiátrica e de Moléstias Nervosas, da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Foi interno de Teixeira Brandão, de Juliano Moreira e de Márcio Néry. Foi inspirado na Psiquiatria Social, haurida do Positivismo, que manteve contato com o Dr. Aníbal Silveira, Positivista; Professor de Psiquiatria da Faculdade de Medicina de Jundiaí; Fellow em Fisiologia Cerebral em Chicago; que foi professor de meu Tio Carlos da Silva Lacaz, Professor de Dermatologia-Microbiologia e Doenças Tropicais, da Faculdade de Medicina de São Paulo, e do meu atual amigo, Psiquiatra-Psicoterápico  Dr. José Cássio Simões Vieira – Positivista cassimov@uol.com.br , que surgiu graças a INTENT. Não deixando também de registrar a Tese da Dra. Lúcia Coelho – Teoria da Personalidade A . Comte - A . Silveira); o Livro de Paulo Augusto Lacaz ( A Ciência Moral Teórica Positiva – Sistema Universal das Concepções, Próprias ao Estado Normal da Humanidade – Segundo Augusto Comte).


1) Introdução.

Não há dúvida, que é fato consumado, pela observação popular, que o numero de alienados e neuropatas tende a aumentar progressivamente, nestes nossos tempos ditos modernos ou melhor dizendo contemporâneo. O crescente  número de psiquiatras e psicólogos, prova  esta tendência.

Para quase todos aqueles que estudam, os problemas da Desarmonia Mental, não é a Civilização, mas são as Idéias Religiosas, os Regimen Políticos e as Metodologias do Ganho Econômico - Financeiro, as grandes causas da Degeneração das Sociedades, de hoje em dia.

Sendo a Civilização os resultados dos fatores sociais do Progresso, onde estão enquadradas as lutas religiosas, as lutas de mercado, as lutas econômico-financeiras, as lutas entre os regimens Políticos, as lutas ou disputas entre indivíduos nos seus trabalhos; as disputas, pelo melhor ganho salarial e de cargo, as lutas entre as empresas e seus mercados, e as guerras militares entre nações, as guerras civis e etc.

Estas lutas não podem figurar numa classificação de fatores sociais ao lado da Civilização.

A Civilização implica numa idéia de uma evolução progressiva da Sociedade; onde há verdadeira civilização há fartura de Vida.

Nunca se poderá dizer que o excesso de Vida em um Indivíduo, pelo enfoque biológico, traz sua degeneração; por isso, nunca se poderá compreender  que uma civilização progressista, seja causadora da degeneração dos seus órgãos sociais; por isso, tudo que se tem trazido, pela análise metafísica, como a causa, da degeneração das sociedades atuais, não é mais do que o efeitocausado por ela; o imoral, a depravação dos costumes, embriagues, o fumo, a luxúria, a gula; uso de tóxico; o sexo por excesso, assassinatos, roubos, barbaridades, raptos, crimes hediondos, suicídios e etc. são grandes efeitos e não as causas da degeneração. Isto nada garante uma análise científica, pois não expressa uma Lei Natural, que se conhecendo os fenômenos, podemos prever os fatos.

Para analisarmos os fatos, isto é, para conhecermos  as Leis que fazem ocorrer os fenômenos da degeneração das sociedades contemporâneas, vamos  verificar se alguma vez, já se observou este aniquilamento da Vida, por graus sucessivos, terminando na eliminação completa de uma agremiação humana. Isto se consegue através da história, onde são numerosos os exemplos de civilizações, que decaíram depois de terem deslumbrado a sua época, com o seu esplendor e sua força. 

 Se formos buscar a origem dos povos mais antigos, encontramos  a confirmação desta verdade registrada nas suas crenças.

A idéia que sempre dominou na Índia, na Pérsia, no Egito, em quase toda antiga civilização oriental, foi a da “ existencia dos ciclos” ; teoria segundo a qual o gênero humano deveria forçosamente extinguir-se depois de gozar na Terra, algumas épocas de prosperidade; e isto não era mais, que o resultado da observação, transmitida pela psicologia coletiva, da decadência das gerações, que as haviam precedido.

Do mesmo modo, em todas as teogonias que dominaram a Antigüidade, encontramos implicitamente contidas, as idéias, sejam de progresso, sejam de regresso da Sociedade.

Podemos ao analisar a crença dos Santals e as crenças análogas, de um grande número de populações primitivas, que elas estão em relação estreita com a evolução da psicologia coletiva do progresso, e ao mesmo tempo, com a história dos  estados sociais correspondentes.

Na crença dos Santals, as gerações passadas, no fundo dos seus túmulos, observavam os seus filhos com intenções caridosas, no entanto as “almas” habitantes do túmulo, distribuíam por toda parte, toda sorte de maldade. Observamos nesta crença a mesma forma dualista do bem e do mal, governando o mundo, que dominou em todas as teogonias ( conjunto de divindades, cujo culto, registra o sistema religioso de um povo politeísta). Não faziam nada mais nada menos, que refletir em entidades  abstratas o que observavam  de bom ou de mau, nas ações da coletividade; eram o princípio criador e destruidor. Os Santals, populações pacíficas, tinha a chave do progresso, e por isso julgavam-se dominados pelo princípio do bem. Outras populações no entanto, preocupavam-se mais com o “espírito” do mal; era que nelas dominando os elementos desfavoráveis, viam a ruína e a destruição alastrarem em suas fileiras.

Ao se estudar as civilizações da Índia, do Egito, da Pérsia e da Judéia, a crença destas civilizações colocam a suas origens na idade do ouro, provando assim que nelas , a soma dos males  ultrapassa a dos bens, pelo menos, que elas eram mais sensíveis aos primeiros que aos segundos.

A Pérsia concebe a história geral, como uma série de evoluções, cada uma delas presididas por um profeta. A sucessão destes períodos prepara o reino de Ormuzd, depois  da completa destruição do mundo por Dahak ou o Demônio – No entanto todas elas iam, a pesar de observarem sua decadência, formulando crenças, numa futura idade do ouro, onde todas poderiam gozar das bondades eternas.

Anteviam, provavelmente, instintivamente uma regeneração dos estados sociais em que se achavam.

Quando no mundo greco-romano trava-se a luta  intelectual , que deu origem ao nascimento da metafísica, marcando um novo período, uma nova evolução do mundo social; esta nova aquisição da Humanidade, não se estabelece  sem um grande desperdiço de potencial, que abala as instituições, então vigentes, trazendo oscilações contínuas; épocas de prosperidade e de aniquilamentos sucessivos, que influíram na alma dos poetas e dos filósofos que foram surgindo, e deixaram estampados em suas obras os estudos sociais  que naquela época dominavam.

“ Os homérides, isto é, os rapsodos que cantavam as poesias de Homero (Século. XII a C.) , com todos os publicistas ligados aos destinos das instituições decadentes, são naturalmente pessimistas: de todos os seres que respiram e que rastejam na superfície da terra , não há nenhum mais infeliz que o homem; no transformismo social que se completa sob os seus olhos, não vê senão ruína e desolação: os homens como são hoje, são inferiores aos das gerações precedentes”  De Greef – Le Transformisme Social – pag. 24.     

Hesíodo (Século VIII a.C.), em suas poesias procurou dar uma explicação religiosa da decadência do povo grego. Formula a teoria das 5 idades da Humanidade, cada uma representada por uma raça. Estas raças vão decrescendo de valor psíquico e moral, com exceção da quarta, que se torna um pouco melhor que a precedente, até a Quinta, a raça de ferro, da qual ele é um dos representantes.

Quando os elementos científicos da filosofia grega começam a dominar sobre as crenças religiosas, embora com explicações metafísicas, os filósofos das diferentes escolas, em seus sistemas otimistas ou pessimistas, deixam transparecer o estado de progresso ou de regresso da sua época. A escola Jônica é puramente otimista.

Tales, Anaximandro, Anaximenes, Heráclito, Hipócrates, Heródoto, e etc. Formularam sistemas, onde se encontram as primeiras concepções sobre a evolução natural.   
  
Em prosseguimento a luta de Atenas, que dá  em resultado as divisões das Classes, aparece Aristófanes com um pessimismo exagerado.

Xenofonte procura explicar a decadência da monarquia persa, pela extensão do luxo e da preguiça. O movimento social é para Platão, uma evolução circular; a degenerescência social  não tem outra causa, senão o deslocamento dos fatores sociais.

Em Roma, pela fácil assimilação da civilização grega, e sendo ela dotada de grande conteúdo metafísico-científico, convincente para a época, dentro de pouco tempo, os filósofos romanos, põem-se a par das teorias  da evolução  social. As mesmas doutrinas gregas aparecem nas obras dos poetas : Epícoro, Lucrécio, Políbio, Virgílio e Cícero, tais são os filósofos prosadores e poetas que mais se ocuparam das questões sociais e do progresso.

   Mas dentro de pouco tempo a fabulosa riqueza de Roma, entrou em ruína. Horácio e Ovídio nas suas Metamorfoses, tornam-se pessimistas e relatam a caducidade do império romano, que não tardou extinguir-se totalmente.

Quando o cristianismo aparece na Judéia, vem impregnado de um desanimo perante aos problemas sociais. É o filho de Deus, que vem salvar o Mundo, de sua destruição. Mas impotente para livrá-lo desta ruína, só pôde e pode, apelar, para o ente sobrenatural, o único capaz de melhorar a sorte da Humanidade, numa vida de além túmulo.

“ O Meu Reino não é deste Mundo” . Socialmente falando isto é muito grave, Jesus não percebeu, que com esta atitude, veio provocar um estado de degenerescência do Império Romano; sem querer atacou as suas mais altas formas intelectuais e morais , promovendo pouco a pouco a redução de suas funções reflexas e automáticas, até que todo o seu organismo  viesse a se dissolver.

Desta forma vemos a degenerescência humana existir em todas as épocas da antigüidade, ser diferentemente compreendida e interpretada seguindo as crenças religiosas e as doutrinas filosóficas que dominaram em cada uma delas.

O Mundo Ocidental da Idade Média, sendo uma continuação do mundo greco-romano, não poderia deixar de ser infectado ou contaminado, dos mesmos elementos de degenerescência. Não obstante as suas fusões com o bárbaros invasores, de seus domínios, mesmo com a inoculação de elementos vigorosos, não pôde regenerar  as suas populações depravadas e imorais.

O aparecimento do Cristianismo, devido as grande lutas entre as antigas civilizações, não há dúvida, foi uma nova doutrina, uma das maiores aquisições da Humanidade; no entanto sua concepção não podia deixar de conter grandes imperfeições. E o Catolicismo, de base no Cristianismo, veio por sua vez poderosamente influir na vasta decadência da Idade Média, onde a degenerescência da espécie humana atingiu o seu apogeu.

A sociedade ia passar por uma grande transformação, após o aparecimento do Catolicismo/Cristianismo, última concepção teológica, com o surgimento do reino da metafísica, no entanto devido a decadência da Idade Média, houve um grande retardo.

O Catolicismo / Cristianismo tolhe o progresso científico e super exista o sentimentalismo altruísta, dando destaque a Pureza dos Santos e não a Ternura entre a Mulher e o homem, como exemplos de conduta. Todos querem ser profetas. Surge a crença do fim do mundo, no ano mil. O Catolicismo/Cristianismo não pôde logo ser compreendido pela multidão. A unificação dos sentimentos que ele deveria trazer, tornando a psicologia coletiva, mais uniforme, e o caráter social mais estável e evolutivo, não foi possível  de ser realizado, a curto prazo, devido ao misticismo cristão, ter que travar árdua luta com o paganismo.

  A crença nas almas, nos anjos, nos demônios, nos deuses de toda espécie; juntam-se as crenças dos mágicos, dos feiticeiros, dos vampiros, dos lobisomens, e de toda esta confusão, vai gerando as formas dos delírios, isto é, de loucura, que se propagam na forma de delírios epidêmicos. A instabilidade cerebral denuncia a degeneração, que vai devastando as populações. Um ataque de histeria, é muitas vezes o ponto de partida, de uma epidemia que empolga toda uma população.

E como maior prova de decadência, as torturas e as fogueiras, são os corretivos empregados aos pobres loucos, considerados na época entidades demoníacas.

No meio de toda esta agitação, surgem numerosas guerras, de todos os poderes entre si.

Após terem decorridos 10 séculos de lutas onde parecia que tudo ia se extinguir; vão ocorrendo lutas mais intelectuais; onde a influencia dos Árabes, que durante esta época fazem grandes descobertas científicas, e faz-se notar aos poucos aqui pelo Ocidente, o aparecimento de grandes vultos, como o Roger Bacon (1214 – 1294) – [No século XIII, inglês Roger Bacon (1214-1294) opôs-se à escolástica, ao sustentar que a tradição não é o único meio de acesso à verdade. Propôs que só o saber rigoroso, utilizando-se de um método que tivesse por base a matemática, possibilitaria que se atingisse a verdade. A concepção de Roger, além de permitir considerá-lo um dos precursores do pensamento científico moderno, constitui uma antecipação do método experimental, ao valorizar o papel da experiência na elaboração da ciência]. e  Pico Mirandola, {(Pico della Mirandola, Giovanni (1463-1494), filósofo e humanista italiano. Erudito dialético e de brilhante oratória. É autor de Heptaplus (1489), um relato místico da criação do Universo}; que tornaram-se os precursores da Renascença e da Reforma. Grande absurdo Social que a Igreja Católica deixou acontecer.

As Pessoas que têm o cérebro povoado de Deuses, anjos, arcanjos, demônios, gênios e almas teológicas, compartilhadas com as imagens reais; Que defensivos encontram nas suas doutrinas , para não caírem na loucura, quando por qualquer circunstancia, forem atacados pela apreciação destes entes ditos sobrenaturais, isto é, por alucinações ?

                Como os teologistas, católicos e o protestantes, que aconselham a penitencia, a e mortificação da carne, se resguardam racionalmente das reações perturbadoras, do corpo sobre o cérebro ?
               
Os Positivistas encontram nas suas convicções um apoio para estas perturbações de que for cometido. Como todas as garantias científicas, nada tem de absoluto; mas é o único com quem se pode contar.

Todo esse mundo ideal de entes estra-humanos é substituído pela contemplação, conscientemente subjetiva das gerações que passaram e das gerações que hão de vir.
               
Se por ventura, a Emoção exaltada pelo sentimento, torna nítida e vivazes as imagens subjetivas dos entes adorados; fazendo com que escutemos as suas vozes e enxerguemos as suas imagens; ao nível de mesma "nitidez", que as imagens reais e objetivas; os positivistas, sabem que estas visões, não são de mortos ressuscitados, cujo o conhecimento destes mortos objetivamente, mas vivos subjetivamente, só podem encontrar na meditação, aquilo que realizaram em vida objetiva.
               
Não é permitido invocar conselhos e ordens que recebeu nos encantos de seus prazeres. Não pode então, crer na realidade objetiva dos Deuses de seu Culto; quando esta realidade, já houver cessado pela morte
               
Também lhe é proibido entregar-se, tanto aos excessos egoístas, que degradam e conduzem ao idiotismo, como aos exageros da mortificação, que torna o homem, incapaz de servir ao seu semelhante, o que predispõe para todas as perturbações doentias, inclusive a loucura.

Aceitando resignado as fatalidades, que não pode modificar, aproveita a flexibilidade superior dos problemas morais, para suprir, com o aperfeiçoamento próprio, as imperfeições de sua situação. E contenta-se com os entes que adora, com a convivência que resulta da recordação saudosa, de seus benefícios e de suas virtudes; sabendo que não há outra imortalidade, além da assimilação, pelas gerações atuais, das conquistas realizadas pelas gerações que passaram.
               
Aqueles que com tais armas fracassam no batalhar da existência, só tem que lamentar a própria fraqueza, isto é, o seu frágil caráter.

Si fractus illabatur orbis, impavidum ferient ruinae .
Se o mundo desabasse sobre ele; ele seria ferido pelas ruínas, impávido ( sem medo)
               
Este exame parcial, nos revela que a situação teológica-metafísica, é a mais favorável para predispor o homem à loucura; visto que a crença em um mundo sobrenatural, torna possível todas as divagações, sem falar na excitação contínua, que os sentimento egoístas do orgulho e da vaidade, tem origem nestas crenças, teológicas-metafísica.
               
Mas cumpre reconhecer que o perigo cresce, quanto mais predominar a fase metafísica.
               
Felizmente, os grandes homens do catolicismo, dispondo do vago inerente ao seu Dogma, instituíram verdadeiros aparelhos de segurança, contra as alucinações pessoais. Foi assim que as visões, podem ser ao mesmo tempo obras do demônio ou de Deus. Os doutores Romanos estabeleceram a competência, exclusiva da classe espiritual, os Sacerdotes, e especialmente o chefe da hierarquia, para decidir, caso a caso.
               
Esta atitude mostra o alcance social e moral do Dogma da Infalibilidade Papal – Prerrogativa atribuída ao Papa, para que os Católicos não errem em questões pertinentes à Fé e aos Costumes; quando pretende conferir uma orientação universal.

Já o Protestantismo, quebrando esta garantia, e pondo o crente em comunicação direta com Deus, pelo dogma do livre arbítrio, favorece o desequilíbrio mental. Porque simplesmente, o dogma neste caso, é favorável a desenvoltura da Vaidade e do Orgulho, comprimindo a Veneração; isto é, destrói as bases de todas as disciplinas, principalmente a Social.

O estado revolucionário deísta ou ateu, agrava esta situação, pela proclamação absoluta do livre exame, por tal forma, que cada um afeta hoje tirar de si, por uma inspiração monstruosa, todas as suas crenças.

O resultado dessa desorganização, do regimen católico, criando o protestantismo, tem sido a exacerbação contínua dos instintos egoístas, e a compressão dos sentimentos Altruístas, cuja as influências os teologistas atribuem à Graça Divina; e os revolucionários pretendem substituir pelo interesse bem entendido.
                .
                Realmente nesta época ocorreu uma reação para alterar a existente organização depauperada.

                Assim, a Idade Média nos parece ser um organismo, cujo  comandos superiores, não tem a força inibidora capaz, de superar os desmandos dos comandos inferiores, aparentemente dominada por uma grande Neurose - nevrose. Durante todo este tempo a sociedade retrocedeu ou involuiu. Algum elemento lhe faltava para  corrigir  aquele descalabro. Em um regimen Feudal, onde deveria suceder uma luta pela divisão de classes, com a divisão do trabalho, ocorria a aliança de uma superexcitação sentimental, alimentada pelo catolicismo/cristianismo; onde deveria dominar mais do que nunca, um poderoso elemento intelectual.

Foi o que trouxe a Reforma, sucedendo ao catolicismo, no que diz respeito ao livre exame ou livre arbítrio e a liberdade de  consciência. Assim podemos dizer que, Giordano Bruno na Itália, Descartes na França e Francisco Bacon na Inglaterra, podem ser considerados os Paes da Filosofia Moderna.

Foi então que a Humanidade renascendo de suas cinzas, entra de novo no caminho dito do progresso,  equilibrando-se nos fatores sociais daquela ruína. A ciência começa a fazer novas descobertas, entrando no domínio da metafísica.

A Psiquiatria dá o primeiro passo: um licântropo – louco que se acha transformado em lobo – licantropia., condenado a morte  pelo lugar-tenente criminal de Angers – cidade do oeste da França, foi enviado pelo parlamento de Paris, para um hospício de loucos.

Neste momento todos os filósofos deixam em suas obras , concepções sobre o progresso da Humanidade.

Depois de uma reorganização de 300 anos, aparece  a biologia, e assim a ciência caminha para o estado Positivo, nasce a Sociologia Positiva com Augusto Comte e o delineamento da Ciência Moral Positiva, a Ciência da Construção.

Mas temos notado que mesmo com toda esta força, um progresso contínuo ainda não se efetua. Ainda dominado pelo espírito de conquista, o mundo ainda se entrega a guerras de extermínio e as guerras  de disputas de mercado, nas guerras de falta de trabalho, de competição. Algumas Nações depois de atingirem um elevado grau de glória, despencam vergonhosamente. Lembremos a Revolução Francesa, em 1789, uma verdadeira crise  nevrótica, que atingiu todo o povo francês; no entanto foi a única saída, para um alerta ao Mundo .

Não tem nenhuma Civilização, que marche progressivamente, sem ser acompanhada de uma degeneração que não deixa de dominar e de se ampliar.

Segue em anexo um documento que registra o numero de mortos, para garantir o regimen democrático ( ~100.000.000 ) e o numero de mortos para  garantir o regimen comunista ( ~ 100.000.000 ), até este último século passado; fora o numero de mortos entre Israelenses e Palestinos - A Guerra da Bestialidade; ( 300.000 até 1997 ) conflito entre dois povos profundamente ignorantes socialmente, por ainda estarem na fase da inteligência teológica das mais atrasadas da espécie humana; sendo um mais violento e bárbaro que o outro; e infelizmente um dos lados é alimentado pelos USA, reconhecidamente um País de elevada cultura científico-tecnologica, o País mais rico do Mundo, no campo Material, mas, o mais pobre de toda a Humanidade, no Campo Moral Positivo. Augusto Comte em 1854 – no seu quarto Volume do  Sistème de Politique Positive – pag 443/444, já alertava –
«  On confirme l´insuffisance générale des deux première phases d´après leur examen spécial, d´abord temporel, puis spirituel. En écartant le budget théorique et l´armée permanente, elles semblent conduire le peuple central vers le type américain, qui caractérise le principal essor de l´anarchie occidentale. »     
 2) As Leis Naturais

Vamos agora examinar como encontrar os parâmetros das Leis Naturais, que alteradas geram a degenerescência, que tem acarretado a destruição de tantas antigas sociedades, e que ainda ameaçam dissolver, nos dias de hoje, o trabalho evolutivo de milhares de gerações.

Para facilitar a exposição, vamos apresentar de antemão as conclusões que os senhores poderão chegar, e que alguns poucos já chegaram:

1 – que na própria história das sociedades humanas, existem as condições de se conhecer as Leis Naturais, que usadas com parâmetros egoístas, provam a degeneração Social; e por sua vez a degeneração Individual, esta última, devido ao não cumprimento das Leis Naturais da Ciência Moral Teórica Positiva.

2) que os fenômenos sociais são preponderantes na interação com os fatores individuais;

3) que nunca poderemos estudar esses fenômenos sem a ajuda das Ciências Biologia, Sociologia Positiva e Moral Teórica Positiva.

                As teorias da degenerescência, depois que se libertaram das influencias teológico-metafísicas, que lhe davam um caráter fatídico, fazendo coincidir sobre a Humanidade, a maneira dos destinos antigos, passando hoje a considera-la, como um fato do domínio; dos processos biológicos gerais. A luz das teorias da evolução, a degenerescência, tornou-se um fato de ordem geral, sendo um fenômeno natural, e como uma necessidade seletiva, bem como um adjuvante dos fatores que concorrem para a evolução individual e social.

Se a degeneração é um fato tão natural como a evolução; os fenômenos de degeneração hão de ter a mesma origem,  mas “ parâmetros e intensidades cartesianas opostas”, isto é egoístas e Altruístas, e leva-nos para melhor compreende-la e estudá-la no que tange aos seus fenômenos; vamos primeiramente registrar algumas considerações sobre a onde os maiores detalhes podem ser encontrados no Livro A Ciência Moral Teórica Positiva, composta da Existência. (nutrição, evolução ou desenvolvimento e reprodução); da Saúde e da Enfermidade.

        Todos os problemas da VIDA, podem ser esclarecidos pelas Leis Naturais que expressam a  : A Influência do Meio ou da Vida Social, na  Moral, isto é, na “ Alma” e no Soma e vice versa; aHereditariedade dos Caracteres Genéticos (A Nutrição, A Saúde, A Enfermidade e A Reprodução)  e a Seleção Natural  (o Desenvolvimento ou Evolução - ) } MORAL

Desta forma podemos hoje em dia, interagir as Influencias Individuais –ou Morais ou Psíquicas com as Sociais ou Coletivas, e vice versa, com vista à esclarecer, de uma vez por todas, os complexos problemas da Vida, de maneira científica, cujos os fenômenos  representam resultados de ações de Leis Naturais.

Coube  a  Augusto Comte (1798 –1857) até 1857, ter deixado escrito todas as principais bases da Ciência Moral Teórica Positiva – A Ciência da Construção, para que as explicações subjetivas e objetivas do comportamento humano, pudessem trazer as verdadeiras explicações dos fenômenos sociais e individuais do mesmo. Mas que somente nos dias de hoje, está sendo possível colocar neste trabalho, devido a Pierre Laffitte, Dr. Robinet, Luis Lagarrigue e o autor que vos apresenta o assunto.

 Estes detalhes na Ciência Moral Teórica, podem ser encontrados, neste livro acima citado, do autor que vos escreve, no Capítulo A Teoria da Vida – que associa a Moral a Biologia.

                Quanto a explicação com base na Ciência Biologia,  que dá o sustentáculo à  Ciência Sociologia Positiva e esta por sua vez, à Ciência Moral Positiva, vamos didaticamente descrever primeiramente o enfoque biológico.

                A Ciência Biologia : Do estudo da composição material, resulta o laço subjetivo que une, pela química, a cosmologia à biologia, ou o estudo da materialidade ao da vitalidade; isto é, da natureza  morta ao mundo vivo. A base essencial do estudo dos seres organizados, isto é, o conjunto das leis relativas a Vida Vegetativa, está com efeito, no conhecimento dos fenômenos bio-fisico-químicos que estes seres apresentam. A subordinação das funções da Animalidade propriamente dita às da Vegetabilidade Fundamental  ( a única vida característica dos vegetais) estabelece a coordenação das considerações particulares à ciência biológica, de acordo com a sua complicação crescente e sua generalidade decrescente. Além disso, a Biologia, que cientificamente constitui o indispensável termo intermediário, para ligar a cosmologia (as Ciências Física e Química) à Sociologia; isto é, a Ordem Exterior à Ordem Humana, enriquece a lógica positiva, com um processo dos mais importantes:  A Comparação. Ela realiza uma realização verdadeiramente decisiva, pela instituição da Biotaxia, isto é, da série que permite ligar entre si, subjetivamente, todos os seres dotados de vida, ; do duplo movimento interior de decomposição  e recomposição; assim como dos fenômenos zoológicos, que nela geralmente se superpõem, desde de os tipos mais infimos – os micro organismo unicelulares, até o termo supremo da escala biológica – O Homem.

                Esta imensa hierarquia, só pode ser subjetiva, e jamais comporta a plena realidade exterior, tais como os tipos inassimiláveis, devido a singularidade de sua organização, a fixidade das espécies demonstra., por si só, a impossibilidade  de formar  com todos os seres vivos, uma série objetiva ininterrupta.

                Como o seu preciso conhecimento, exige uma classificação, o método só vence esta dificuldade, estabelecendo a necessidade lógica e o caráter perfeitamente subjetivo, ou relativo ao Homem, de semelhante construção: o que permite por conseguinte, aperfeiçoá-la pela subtração de tipos rebeldes e pela adição hipotética dos termos que faltem. 

É desta forma que a Biologia, filosoficamente cultivada, estabelece uma gradual transição, entre o Mundo exterior e a Existencia Social, manifestada pela Humanidade.

                A importância de tal ciência e suas intimas relações com o conhecimento da natureza humana, faz-nos deixar registrar as bases essenciais sobre as quais  a Biologia se repousa.

                Sendo a anatomia o estudo da estrutura de tudo quanto tem vida, que representa o aspecto estático da Biologia dos corpos organizados, em estado de repouso, mas prestes a agir.

Sua principal incumbência, depois de ter estabelecido o princípio da necessidade, de um grau qualquer de organização, como condição indispensável, para as manifestações vitais, mesmo as mais rudimentares, tem sido, desde Aristóteles, constituir esta imensa escala biológica, ao mesmo tempo objetiva e subjetiva, pelo conjunto graduado dos seres vivos.

Quanto a fisiologia, que constitui a parte dinâmica da biologia, consiste essencialmente em fatos gerais, subordinados entre si, mas inteiramente distintos, cujo conjunto, explica, quer as funções contínuas da vida de nutrição, quer as funções intermitentes da vida de relação.

O fato mais geral que caracteriza a Vida, é o duplo movimento intimo e contínuo de assimilação e desassimilação, próprio de todos os corpo organizados, e que seu conteúdo, sofre sem cessar, em virtude das relações com o meio em que se acham colocados. Assim, esta Lei da Nutrição,(1) constitui a base de todos os estudos fisiológicos.

  Logo podemos pela Lei do Desenvolvimento e do Declínio (2), que termina com a morte; seu resultado constante gera a Lei da Reprodução (3), segundo a qual a conservação da espécie, compensa a perda do indivíduo. Assim se expressou Augusto Comte : “ A principal propriedade do conjunto dos seres vivos, consiste na aptidão, de cada um deles, de reproduzir, um ser semelhante, como ele próprio provem, sempre de uma fonte análoga. Não só, não há existencia orgânica, que emane da natureza  inorgânica, mas além disso, nenhuma espécie poderia resultar de outra qualquer, superior ou inferior, salvo as variações limitadíssimas, embora muito pouco conhecidas, que cada uma delas comporta. Existe, pois, um verdadeiro abismo verdadeiramente intransponível, entre o mundo vivo e a natureza inerte; e mesmo em menores graus, entre os diversos modos de vitalidade.”  Catecismo Positivista – 2a Ed. 7a Conferência.

Com relação as Cinco Leis Naturais que coordenam a Vida Animal, três subjetivas e duas Objetiva, vamos poder defini-las como abaixo:

1)  A Primeira Lei Natural (4), consiste na necessária alternativa, de exercício e repouso, característica de toda  Vida de Relação, Sensação e Movimento, sem executar nossos mais nobres atributos: os sentimentos, a inteligência e a atividade (Bichat)

2) A Segunda Lei Natural,(5)  que, como em todos os outros casos , supõe a precedente, embora não resulte dela, consiste na tendência, que possui toda função intermitente, de se tornar habitual; isto é, de se reproduzir espontaneamente, depois de cessado o impulso primitivo (Lei do Hábito) – esta Lei encontra o seu complemento natural na faculdade de imitação; aptidão de imitar os outros; pelo menos em todas as espécies animais, dotadas de simpatia, resultando da aptidão de se imitar a si mesmo, ou de renovar atos espontâneos, já realizados. (Cabanis).

3)    
A Terceira Lei (6) subordinada  à do Habito, consiste no aperfeiçoamento um tempo anatômico e fisiológico, inerente a todos os fenômenos de relação: sensitivos, motores, sentimentais, intelectuais e práticos; isto é, relativos a atividade e ao caráter. No tocante a cada um deles , o exercício tende a fortalecer as funções e os órgãos que o desuso prolongado, chega a atrofiar.

4)  A Combinação das Leis do Hábito com a do  Aperfeiçoamento,(7) determina uma sétima Lei Vital, que merece cientificamente, uma apreciação distinta, embora ela não seja logicamente, mais do que uma conseqüência necessária das precedentes: é a da Hereditariedade. Toda Função ou estrutura animal, sendo perfectível até um certo ponto, à aptidão de todos os seres vivos, de reproduzirem seus semelhantes; poderá desde então, fixar na espécie as modificações suficientemente profundas, sobrevinda do indivíduo. Daí resulta o aperfeiçoamento limitado e contínuo, sobretudo fisiológico, mas até anatômico, de qualquer raça, pelas regenerações ou crescimentos sucessivos, tanto mais perceptíveis, quanto mais elevada for a espécie, por ser assim mais modificável e mais ativa.  Augusto Comte – Catecismo Positivista.

Assim poderemos medir a diferença, do ponto de vista abstrato  e do ponto de vista  concreto, comparando a teoria Positiva , com a  esclarecida concretamente por Darwin e seus seguidores, como uma Lei Complementar 

5) A Oitava Lei Natural, SELEÇÃO NATURAL- Evolução:

       Foi Charles Darwin (1809 – 1882) quem, incitado pela publicação da descoberta de Alfred Russel Wallace (1823 – 1913 ) de seu princípio da Seleção Natural, estabeleceu em 1859, a Teoria da Evolução, na obra A Origem das Espécies.

       Mais tarde, os estudos de Gregor Mendel (1822 a 1884), retomados no final do século XIX, demostraram o que Darwin insinuou vagamente: que a hereditariedade é particular, não combinada. Sejam ou não os descendentes formas intermediárias entre seus pais, eles herdam e transmitem partículas hereditárias separadas, que hoje em dia denominamos genes. Os genes únicos e separados se distribuem de forma independente através das gerações, como nas cartas de um baralho.
Se a herança é particular, a seleção natural pode atuar. Como estabeleceram pela primeira vez o matemático britânico G. H. Hardy e o cientista alemão W. Weinberg, não existe uma tendência própria de desaparecimento dos genes do “conjunto” de genes. Se isso acontecer, será por causa de processos fortuitos, ou da Seleção Natural. A versão moderna do darwinismo, chamada de neodarwinismo, está baseada nesta idéia, elaborada entre os anos 1920 e 1930 pelos geneticistas R. A. Fisher, J. B. S. Haldane e Sewall Wright.

A teoria genética moderna da Seleção Natural pode ser assim resumida: os genes de uma população de animais ou plantas que se entrecruzam sexualmente constituem um “conjunto” de genes. Os genes competem neste “conjunto” da mesma maneira que as moléculas primitivas que se reproduziam faziam-no no “caldo” primitivo. Na prática, a vida dos genes do “conjunto” de genes transcorre de duas formas: ou assentando-se em corpos individuais que ajudam a construir, ou transmitindo-se de um corpo ao outro, através do espermatozóide ou do óvulo, no processo de reprodução sexual. Qualquer gene que se origina no “conjunto” genético é resultado de uma mutação ou erro aleatório, no processo de cópia dos genes. Uma vez que se produziu uma mutação nova, esta pode se estender através do “conjunto” genético, por meio da mistura sexual. A mutação é a última origem da variação genética.

       Existem várias razões que explicam a causa da freqüência de variação dos genes: imigração, emigração, deslocamentos aleatórios e Seleção Natural. A imigração, emigração e desvios aleatórios não têm demasiado interesse do ponto de vista da adaptação, embora na prática possam ser muito importantes. No entanto, a Seleção Natural é fundamental para explicar a melhora da adaptação, a complexa organização funcional da vida e os atributos de progresso que, discutivelmente, podem-se classificar como evolução. Alguns têm mais qualidades para sobreviver e reproduzir-se do que outros. Os organismos cujas características para sobreviver e reproduzir-se são melhores, tenderão a contribuir com mais genes para os “conjuntos” genéticos do futuro do que aqueles cujas características sejam más para esta finalidade: os genes que tendem a formar organismos bons serão predominantes nos “conjuntos” genéticos. A Seleção Naturaltraduz-se nos
diferentes níveis de sucesso que alcançam os organismos na sobrevivência e reprodução: isto é importante por causa dos requisitos necessários para a sobrevivência dos genes no “conjunto” genético. A persistência do mais apto, é devido a conservação das diferenças e variações individuais favoráveis, e a eliminação das variações prejudiciais; assim disse Darwin.

                A Hereditariedade dada pelos Caracteres Genéticos e a Seleção Natural atuam somente como elementos conservadores, e fator ativo, que a todos prepondera, é dado pela Influência do Meio, com a reação ao uso e caracteres humanos, no que tange  a sua acomodação, às condições do ambiente - etológica do indivíduo; neste meio, isto é, no meio cósmico ou biológico, onde o indivíduo encontra as ações e as reações, que resultam nas suas variações, que se fixam na espécie, através da Seleção Natural e dos Caracteres Genéticos. 

                Pois é do meio que o Indivíduo vive, que partem as influencias que determinam suas variações. É através da luta travada entre o indivíduo e o meio em que ele vive, que resultou seu transformismo, para que viesse ocorrer sua adaptação.

                Intervindo os outros fatores, a conservação  dos caracteres genéticos favoráveis, foi que prevaleceu com a Seleção Natural, a não permanecia dos elementos desfavoráveis, que não poderiam ter lugar.

                  A Seleção Natural tornou-se assim, um dos processos mais preciosos da evolução individual, evolução que se fazia facilmente pela força das circunstancias; evolução que tornava-se eminentemente progressiva e definitiva para os indivíduos de uma espécie, ou para  a espécie que sobrevivesse.

                A mesma evolução intensiva apresentava o homem, quando vivia em estado de bárbaro. Com efeito, só tendo que lutar com os elementos que lhe eram opostos pelo meio cósmico e com a concorrência dos outros animais, e de seus semelhantes; o homem ou vencia nesta luta, se era forte, ou era vencido, e eliminado se era fraco; não havendo possibilidade da transmissão à gerações sucessivas dos elementos defeituosos.
                 
                Se admitirmos que a eliminação dos fracos não se efetuasse, que não encontrasse direito a vida somente os indivíduos cujo potencial, fosse de sobra, para poderem opor certa reação contra o meio que determinasse sua adaptação, mas que também, os de potencial reduzido, pudessem subsistir, juntamente com os primeiros. É evidente que estes fracos elementos, tendo que concorrer, com os elementos fortes que muito facilmente os levariam de vencida; e teriam que encontrar meios  de subsistência menos vantajosos; e já não só poderiam  se adaptar ao meio, em que tinham nascido, mas sofreriam deste meio ações, que ainda mais lhe diminuiriam a resistência. O fator hereditário, entraria em ação, determinando a conservação, na descendência, deste potencial enfraquecido, que  teria mais que sofrer, as oposições do meio, e assim, nesta progressiva baixa, chegaria a um ponto mínimo, onde o tipo degenerado apareceria esculpido nas alterações da morfologia e da fisiologia do indivíduo.

                Estes fracos indivíduos ainda iriam concorrer devido as suas uniões, para enfraquecer  a descendência dos mais dotados, e tolheriam de maneira desvantajosa, a evolução progressiva.. Sem a eliminação determinada pela Seleção Natural, apareceriam os tipos degenerados, e a evolução individual encontraria uma grande resistência.

                Assim sendo, este fato que não era possível ser observado, antigamente, começou tomar desenvolvimento, desde quando o homem organizou-se em Sociedade. Desde a constituição das Famílias primitivas, a proteção mútua, ia determinando a conservação relativa destes elementos enfraquecidos, até que hoje, nas sociedades civilizadas, o aperfeiçoamento da Moral Positiva, fazendo surgir, o Sentimento de Humanidade, isto é, a subordinação do egoísmo ao Altruísmo, embora outra coisa não lhes conceda, garante-lhes, pelo menos, a Sociedade, o direito de Vida. Desta forma podemos dizer que só com a constituição da Sociedade, começaram aparecer os tipos degenerados.

                Mesmo que isto não tenha ocorrido, ao observarmos o que se passa atualmente, deveríamos nos ater que a degeneração ocorre em todas as espécies animais, que vivem sobre a Terra, e que só aparece nas espécies que se organizaram em Sociedade, e principalmente na Sociedade Humana.

                Isto já nos indica claramente, que é na própria sociedade que devemos encontrar as causas da degeneração !

                Por outro lado, a Ciência Biologia, nos ensina que a Evolução Natural é a conseqüência das variações  individuais determinadas pelas influencias do meio. Essas variações dependem da necessidade de adaptação do indivíduo, neste meio.

                 Podemos já deduzir como uma verdade, que o grau de variação, depende da complexidade deste meio, e que ela cessa desde de que o indivíduo esteja perfeitamente adaptado à ele. Não havendo o desperdício de potencial, determinado pelo esforço de adaptação, com certeza não pode haver degeneração. Onde não há evolução não há degeneração.

                Eis porque as espécies animais que não vivem em sociedade, não se degeneram : porque não mais evoluem. Não se dá o mesmo com o indivíduo humano.

                Nos ensina a Ciência Sociologia Positiva, que o Indivíduo na Sociedade, não é mais do que um elemento componente de outro Aparelho ou Organismo mais complexo. Não mais influenciado que as outras espécies, pelo meio cósmico, ao qual está adaptado; no entanto o Indivíduo faz parte de um outro meio mais complexo; um meio ainda instável, que ainda não entrou em equilíbrio; e que não entrou em equilíbrio, e que forçosamente, há de trazer variação de outra ordem, aos elementos, que compõem as variações intelectuais, que não poderiam existir sem ele. Estas variações intelectuais tem de ficar sujeitas, às mesmas leis que as variações primitivas; vão aparecer as variações vantajosas, de adaptação do Indivíduo no meio social, e consequentemente o desperdício de potencial e o seu resultado, é a degeneração.

                Um microorganismo mono celular, que vive no meio líquido, ou substrato, ficou mono celular, desde que sua variação necessária, se completou. As células do organismo animal encerradas num meio mais complexo, tiveram que sofrer mutação, por divisões sucessivas, chegando até as mais complexas, como as do córtex cerebral, no Encéfalo.

                O Homem, célula do novo organismo – o Organismo Social, há de sofrer mutações desde Barbárie até a um estado, que é difícil de se prever, se não houver uma Educação, de base Altruísta, com vista a melhorar a Sociabilidade Humana . E como a evolução Individual não se efetuou, até hoje, senão a custa da degeneração  de milhares de células do seu organismo, assim também a evolução social, não chegará ao seu termo, senão depois da degeneração de milhões de indivíduos; a menos se conseguirmos, pela Educação dos Sentimentos subordinar o egoísmo ao Altruísmo e se no primeiro caso as causas da degeneração, não poderiam partir de outra parte, senão do meio orgânico; também no segundo, não podem ser encontrados em outros pontos, senão no Meio Social.

                Assim se desejarmos saber como ocorre a degeneração humana, devemos conhecer as Leis Naturais, que comandam os fenômenos, biológicos, sociológicos e morais.

                Para nos basear de maneira científica, nas investigações destes fenômenos, há necessidade dos leitores se aprofundarem no conhecimento dos Dogmas Positivos – no que tange as 15 Leis Naturais da Fatalidade Suprema ou Filosofia Primeira ou Princípios Universais, { que consistem em relações abstratas, as mais gerais que os fenômenos possam apresentar. São independentes da própria natureza destes fenômenos, e comuns a cada uma das grandes categorias de acontecimentos, que a Ordem Real – as Ciências - apresenta. São  Subjetivas ou Objetivas, isto é, relativas ao Homem e ao Mundo; que considerada em conjunto, nada mais é que a sistematização científica das idéias humanas, ou a explicação real do mundo e do Homem, de acordo com o regime das Leis Naturais, que substitui, em todos os sentidos, o reino das vontades divinas; consiste, essencialmente, na aplicação da noção de lei à todos os fenômenos reais, objetivos e subjetivos, ou na concepção científica da ordem universal, cosmológica, vital, social e moral. Por conseguinte, devemos desprezar as causas, que constitui um gênero de pesquisa, ao mesmo tempo inacessível e vão. Desprezar os porquês, vindo a só se preocupar com o COMO, isto é, com as Leis efetivas dos Fenômenos de qualquer gênero, com as suas relações reais e constantes. Finalmente substitui o absoluto pelo relativo, e renuncia a síntese objetiva, baseada numa causa primeira, única, e onigeradora, para só admitir leis múltiplas, cuja coordenação só é realizável subjetivamente, em relação ao Ser Supremo Coletivo, Contemplador do Ambiente, A HUMANIDADE. Ao mesmo tempo, a filosofia repousa inteiramente na separação, entre o concreto e o abstrato, na divisão entre a Ciência e a Arte. Só especula sobre a existencia, sobre os fenômenos que a compõem, mas de modo algum sobre os seres que manifestam este fenômenos, cujo o estudo especial fica reservado, para a prática – ou tecnologia. No ponto de vista lógico, a Filosofia Positiva institui, com total renovação, um estado mais perfeito da modalidade humana}; nas Leis Naturais das Ciências ou  Filosofia Segunda ou Ordem Real ( Matemática, Astronomia, Física, Química, Biologia, Sociologia e Moral) , no que se refere, a Sociologia Positiva e finalmente a Ciência Moral Teórica Positiva e a Arte da Educação, pela Moral Pratica Positiva.

Resumindo : Pela Visão Concreta

                É a Ciência Biologia que tem por Objeto os Organismos Vivos dos reinos { viria,  monera, [protista ], metáfita e metazoa) ou { vírus, bactérias, [ Protozoários e Algas-Monocelulares], Vegetal e Animal; e de seu funcionamento; a Biologia  tem por Fim, o estabelecimento  das relações pelas quais conhecendo-se um órgão encontramos a sua função ou, conhecendo uma função determinamos o órgão que corresponde a esta função; a Biologia também tem por Fim o estabelecimento das relações pelas quais, conhecendo a modificação fisiológica ( metabólica e/ou morfológica), podemos encontrar o seu sintoma correspondente; ou ,  vice versa, e conhecendo um  sintoma  podemos determinar que modificação orgânica ocorreu, criando condições de que este sintoma se manifeste. Nota : A palavra sintoma , aqui neste caso é aplicável  tanto em relação  a fisiologia normal quanto a patológica. A Biologia tem por Método a comparação, que é o modo de raciocinar  pelo qual induzimos mediante a contemplação de fenômenos semelhantes .


Ciência Sociologia :

“ Esta ciência estuda a existência Social, as Leis Naturais dos fenômenos Religiosos, Políticos e Científicos, onde o homem vivendo em sociedade, vive em uma ordem humana coletiva” . Augusto Come – Filosofia Positiva – Vol. IV,V e VI; Política Positiva Vol. II, III e IV; Catecismo Positivista – Depois da morte de Augusto Comte, Pierre Laffitte, não cessou de ensinar a Sociologia concreta e Abstrata, a história dos principais agentes da evolução humana Os grandes vultos da Humanidade, 2 volumes, Paris 1875 . Na Inglaterra os Senhores Congreve ,Beesly,  G. e V. Lushington, Bridges, F. Harrinson, J. C. Morison e etc. , não cessaram de reproduzir, sob diversas formas, o idêntico ensino apresentado por Pierre Laffitte. E uma série de outros artigos e livros, que foram escritos na Segunda metade do século XIX, e estão dentro de uma realidade que foi propositadamente abafada e escondida, pelos que desejam consciente ou inconscientemente este estado  predominante de Educação, com base no egoísmo humano; onde predomina em nome da liberdade imoral a repressão por  conflitos de toda ordem; pensando que só por disputa é possível melhorar as condições da Vida Social, visando aprimorar os produtos para serem vendidos, só com vista ao lucro, não para o bem dos outros. e etc. Se todos forem educados para fazer o bem dos outros, isto é, Viver para Outrem Viver às Claras, tendo O Amor por Princípio, a Ordem por Base e o Progresso por Objetivo, encontraremos a Paz na Humanidade. Mas não é o que pensam os Educados teologicamente, com Deus e as Guerras; nem os capitalistas individuais, com a democracia; nem os capitalistas de Estado, com o comunismo.

A Ciência Social, isto é, a Sociologia Positiva, compõe-se de duas partes: uma que constrói a Teoria da Ordem – A Sociologia Estática, e a outra, que desenvolve a Teoria do Progresso -  A Sociologia DinâmicaMaiores informações a respeito desta ciência, sob o enfoque Científico, isto é, Positivo, será fornecido,  para cada um que se manifestar separadamente, interessado.


Resumindo: Sociologia é a  Ciência  que tem por  Objeto o Organismo Social  e o  Seu  Desenvolvimento , isto é,  o Estudo da  Ordem e do Progresso ( Normal e {Patológico[ Ordem Retrógrada e Progresso Anárquico ]} ) de uma Sociedade; a Sociologia tem por Fim                  o estabelecimento das relações Naturais  através das quais , sendo conhecidas  a formação e a                 estrutura de uma Sociedade, podemos prever as suas condições  presentes e  futuras  de                 existência e de seu comportamento ; a Sociologia  tem por Método a  filiação histórica que é o modo de raciocinar pelo qual induzimos através da  contemplação de fenômenos sucessivos. Nota : Devido ao fato de que  na investigação sociológica tem-se  como fontes de                observação dos  Vestígios   Religiosos(Sentimentos); Científicos (Inteligência) e de  Política ( Ações- Caráter), não se pode como na Moral conhecer  tão profundamente  os  fatores Afetivos  que   criaram tais vestígios; isto não significa que não tenham estado presentes, isto é participado, pois  nada é indiferente  perante  o Sentimento , apenas , a parte sentimental é                profundamente analisada na  Ciência  Teórica Moral Positiva .
                               
Ciência Moral Teórica Positiva :

                Caso não existisse, depois da morte de Augusto Comte, o Senhor Pierre Laffitte, o discípulo preferido do Mestre dos Mestres, por ter tido competência e  a capacidade de ter abraçado integralmente a Doutrina Positivista; em assimilá-la, em comunicá-la e em ensiná-la, em cada uma de suas partes; de ter defendido dos ataques que ainda sofre, este dilúvio de críticas incompetentes e mentirosas, de agressões imprudentes ou falsas, teria o Positivismo caído em um profundo esquecimento ; ou teria passado ao estado de curiosidade bibliográfica e não teria visto este período de discussão pública e de vulgarização, indispensável ao seu advento.

                Não teria, principalmente atingido esta ação que neste momento por meio da Internet, que vindo lhe re-incorporar à vida pública contemporânea, traz de volta Pierre Laffitte; e também não podemos nos esquecer de Miguel Lemos, Teixeira Mendes e Luis Lagarrigue, e muitos outros, como uns dos elementos de coordenação e de iniciativa das mais originais e dos mais importes do Progresso da Humanidade.    

                A Ciência Moral Teórica, a ética, é mais Sintética que qualquer outra. É para ela que todos os aspectos abstratos, anteriormente estudados, concorrem espontaneamente, para construir o guia geral da razão concreta.

                Augusto Comte, “ estabelece a princípio, as Leis da Simples da Materialidade ( a Matemática, a Astronomia, a Física, a Química); depois a Biologia constrói, sobre esta base, a Teoria da Vitalidade. Finalmente  a Sociologia subordina à este duplo fundamento, o próprio estudo da existencia coletiva.

                  Embora a Sociologia  seja necessariamente mais completa, do que as precedentes, ainda não abrange tudo, o que constitui a natureza humana, pois nela, os nossos principais atributos, não se encontram ainda suficientemente apreciados.

                A Sociologia considera essencialmente no Homem, a Inteligência e a Atividade ou Ação ou Caráter, combinadas com todas as nossas propriedades inferiores, mas sem ser diretamente subordinados aos sentimentos que as dominam.

                Este desenvolvimento coletivo, faz sobretudo sobressair nosso surto teórico e prático. Nossos sentimentos só figuram em sociologia, mesmo na Estática, pelos impulsos que exercem sobre a vida comum, ou pelas modificações  que recebem dela. Suas Leis Próprias, apenas podem ser estudadas  pela Moral , onde adquirem  a preponderância, devido a sua dignidade superior, no conjunto da natureza humana; onde Augusto Comte percebeu as Leis Naturais da Moral Positiva, e sintetizou os Sete Teoremas que constitui a Ciência da Construção = A Ciência Moral Teórica Positiva.

               
Maiores informações a respeito desta ciência, sob o enfoque Científico, isto é, Positivo, será fornecido,  para cada um que se manifestar separadamente, interessado.
               
                               
Em Resumo :   A Ciência Moral Positiva, que tem por Objeto a  Natureza Humana  individual ; em seus aspectos Afetivo , Intelectual e Prático ;  a Moral tem por Fim  o estabelecimento das leis Naturais que permitem  prever o comportamento de uma existência humana , colocada em determinadas condições  Objetivas e Subjetivas , e , também , a previsão  das modificações  que  possa sofrer esta mesma  existência humana , por influências  Interiores  e Exteriores. A Moral tem por Método a construção  , que é  o modo  de raciocinar  pelo qual se aceitam ou se rejeitam proposições segundo a sua compatibilidade  ou incompatibilidade,  com o resultado de induções ou deduções anteriores . O que foi dito anteriormente se refere  a Moral-Teórica .  Além da Moral Teórica está a Moral Prática que  institui os meios gerais  de aperfeiçoamento humano em seu tríplice aspecto: Afetivo(Pela subordinação sistemática do egoísmo ao altruísmo);Intelectual ( Pela subordinação Sistemática da Análise  à Síntese );e  Prático (Pela subordinação Sistemática  do Progresso à Ordem) .

               
                Mas para não deixar sem resposta, vou concluir sem demonstrar as existencia das Leis Naturais, que comandam a geração destes fenômenos; deixando a procura do conhecimento, destas Leis, para aqueles cujo sentimento, a inteligência e o caráter, se simpatizem em estudar a grandeza desta Doutrina, que é a Doutrina Positivista; a fim de aglutinarmos um maior número de homens e Mulheres, que desejem, que a Humanidade realmente rume para uma posição de equilíbrio Harmônico, onde predomine a subordinação do egoísmo ao Altruísmo, do direito aos Deveres, da análise à Síntese, e do progresso à Ordem.

                A conclusão dos fatores de degenerescência Humana, vão ser expressos aqui, pelas suas Tecnologias, referentes as Ciências Biologia, Sociologia e Moral Positiva; que são : as Enfermidades Somáticas, provocados por agentes externos e internos;  Enfermidades Sociológicas e Enfermidades Psíquicas –respectivamente; Todas Expressas em Ação -; com base nas suas respectivas ciências. Mas vale para dar sustentáculo de visão de Destino ou Fatalidade Suprem as 15 Leis Universais, comuns a todas as Ciências. Mas para isso há, necessidade de estudarem  estas Leis e suas aplicações, sugiro que seja pelo  Livro : Manobre Você Mesmo o Seu Destino – de P. A . Lacaz e Hernani Gomes da Costa. Onde encontramos as Leis Estáticas e Dinâmicas ou da Evolução do Entendimento; as Leis da Racionalidade, Leis da Estabilidade da Ordem Universal; Leis da Modificabilidade da Ordem Universal; Leis da Subjetividade. Que diagnosticam os vários estados normais e patológicos, que vive, viveu ou viverá a Humanidade.      
                                                               
                Vamos aos fatores de degenerescência Humana ocorridos PELAS NÃO ADEQUADAS APLICAÇÕES DAS TECNOLOGIAS DE CADA UMA DAS CIENCIAS OU DAS ARTES, ABAIXO INDICADAS.

Biologia :

A Nutrição : Excesso de Gordura, Animal e Vegetal, Sal, Açúcar, Café, Chá, Produtos Químicos, Pimenta, Cigarro, Tóxicos e Produtos Químicos Farmacêuticos { Psicoanalépticos (Grupo das Afetaminas, Grupo das Piperidina; Grupo da  Mono-Amino-Oxidase e  Grupo dos Derivados Tricíclicos) ; Psicolépticos (Hipnossedativos, Tranquilizantes; Derivados Fenotiazínicos; Alcalóides da Rauwolfia e Butirofenas); Psicodislépticos ( Alucinógenos ou Alucinogênicos   = Maconha , Mescalina, LSD, Psilocibina e Psilocina; Bebidas Alcóolicas - Pinga, Cerveja, Whisky e etc.) . Poluição Atmosférica e Terrestre. Alimentação por produtos Trangênicos. Intoxicação pela pele = cremes, champools e sabonetes, pastas de dente, Corantes de Cabelo; pigmentos ou corantes orgânicos alimentícios, de alta toxidade, principalmente os amarelos. Conservantes e Estabilizadores Alimentícios. Pesticidas, Herbicidas e Inseticidas. Etc. .Influencia das radiações, na geração dos produtos hormonais.

                Além de causarem deturpação no metabolismo orgânico, criando doenças passageiras; algumas criando degenerescência das células, provocando doenças graves; outras afetam a estrutura genética da formação dos óvulos e dos espermatozóides, criando degenerescência da estrutura do DNA, nos cromossomos, provocando degenerescência das gerações futuras.

                As epidemias e todas as moléstias infecciosas tem ocorrido para degeneração da espécie humana – A Falta de Higiene – Profilaxia

                O Filho de um sifilítico é sempre um enfraquecido, e a tara se apresenta desde as simples alterações  constitucionais até as anomalias  de organização mais profundas  do sistema encefálico – isto é, a Idiotia.

               
O Sexo : O excesso de sexo, com necessidade de não procriação, provoca pré-disposição mórbida, que deixa o soma sujeito ao desenvolvimento de todas as infecções, afora as que resultam de práticas sexuais imprevidentes e imorais.

O Fumo , já é nosso conhecido, pela propagandas  de combate ao seu uso, gerador de várias doenças, dentre elas, o câncer de pulmão. Alcatrão Cancerígeno.

Tóxicos – Procurar ler o Livro  - Tóxico - de Vicente Greco Filho.- Editora Saraiva.


Seleção Natural – Evolução

                A deturpação que o desenvolvimento científico, vai criar, com as descobertas das técnicas de  engenharia genética – clonagem – trazendo evidentemente, grande benefícios para a Humanidade; mas não há dúvida que irá surgir, em maior escala, devido ao estado de sentimento egoísta que predomina, grande aberrações imorais para  serem filtradas, para o próprio bem da Humanidade. Para isso, necessitamos, de pregações, e não somente de leis, que não serão cumpridas, na sua maioria, para bloquear  os possíveis danos a nossa espécie; mostrando as conseqüências, das sugestões Imorais. Vide artigo de P. A . Lacaz – Biobomb3.doc


Sociologia

Muitos produtos alimentícios, são gerados, pela Sociedade. Indicados no Item – 1 Biologia - Nutrição, Estes produtos muitas vezes utilizados de forma inadequada, tornando-se tóxicos; nascidos das anomalias de produção no meio social, isto é, na Sociedade, os Psicoanalépticos, os Psicolépticos e os Psicodislépticos, são os que de forma  inadequada de uso, se transformam em veementes venenos para a Sociedade Humana; deturpando a evolução  da Civilização Humana – isto é, A  Ternura e A Pureza da Humanidade; levando-nos, em muitos casos para o lado, inicial da loucura e depois levando o indivíduo para a Idiotia.

                Falemos sobre alguns deles: O Álcool, o Fumo e os conhecidos por Tóxicos.

Primeiramente o mais consumido de todos, e o maior deturpador das Gerações Futuras.
               
Da mesma forma, que as células do organismo humano, por um desvio de sua função, muitas das vezes excretam, produtos tóxicos, também na sociedade, se dá um fato idêntico: derramam na corrente  circulatória social, grande numero de alimentos e bebidas tóxicas. Dos produtos tóxicos nascidos da anomalia de produção social, é o álcool, que de todos sobrepuja, pela qualidade de sua produção e de consumo, principalmente nas nações mais ricas, ditas as mais civilizadas, o mais danoso.

Os orientais embriagam-se  com o haschick e com o ópio; os ocidentais buscam de preferência  a embriagues alcóolica e a  cocaína.

Álcool sem controle do abuso de seu consumo, é de conseqüência, das mais danosas e desoladoras.   

                O Álcool é um tóxico dos mais perigosos, por que seus efeitos manifestam-se lentamente, Só aparecem as conseqüências muito tempo depois de seu uso contínuo, mesmo em reduzidas doses freqüentes. Só se percebe o efeito violento quando ingerido em grande quantidade, pois os danos  externos do comportamento logo se nota. Mas o dano maior, tanto faz com grandes quantidades ou pequenas doses constante, pois o feito é o mesmo. Danificação das células cerebrais.
               
As perturbações que o álcool  determina são as mais variadas, de acordo com o grau de resistência de cada um . Vão desde simples irritação local, à gastrite alcoólica, até as profundas perturbações  da nutrição, a plena degeneração gordurosa das vísceras. 

Sendo o Álcool um produto tão comum e de preço relativamente baixo, e sendo as bebidas alcoólicas de agradável paladar, mistificando o tóxico que encerram; que não classe alguma da sociedade que faça exceção ao uso destas bebidas; e que a mínima causa justifica o motivo do ingestão destes venenos.

 Por isso, podemos dizer que esta Sociedade em que vivemos é uma sociedade intoxicada pelo Álcool; o homem de hoje em dia, na sua maioria tende em uma velocidade grande de se degenerar; se por acaso, não se lhe colocar uma barreira ao alcoolismo.


Quanto as epidemias, elas normalmente dão o seu inicio, ocorrem em maior intensidade, nas populações já depauperadas, devido as causas de dificuldades  econômicas , lutas políticas, guerras , etc.

Se não fossem as migrações , entre povos de mesma raça, com os devidos cuidados da imigração, talvez a espécie humana tivesse tido uma dissolução completa.

Quanto ao Sexo, as suas funções sociais, pois na realidade a separação dos dois sexos, exige uma união, que supõe a separação do ofícios, para um certo resultado comum. É uma associação a dois ; logo seguida de uma corporação de um terceiro ente, quando da associação dessa associação rudimentar – os Filhos – necessitando de proteção, mesmo que seja por pouco tempo, dando surgimento ao instinto materno.

O sexo além das relações ante sociais, que são de tudo a conseqüência. Esta tem pago maior tributo o sexo feminino, a vitima eterna da sexualidade masculina desalmada, e hoje em dia da liberalidade sexual feminina, cujo principal resultado é a dissolução das famílias, conseqüência inevitável de todas as infidelidades conjugais.

A destruição da família, faz com que a maioria dos seus filhos, (90%) se tornem agressivos, violentos, rebeldes, por isso adotando condutas, de procura de tóxicos, de bebidas alcoólicas,  com o fim de esquecerem da falta de carinho, de apego e de bondade, que recebiam dos seus progenitores. Com vista a agredi-los pelas atitudes que tomaram em se separarem, e se entregarem à outros que nas suas mentes, não transmitem segurança à reciprocidade dos seus sentimentos. E mesmo que transmitisse não são seus verdadeiros país, sempre fica a dúvida sobre a verdade do sentimento. Paira o medo da falsidade. A Dúvida, só perturba, ela mata a harmonia ! Mas a maioria dos jovens entram no tóxico, pela curiosidade, pelo que contam as suas amizades, da euforia, das visões = período da imitação. etc.

Quanto aos tóxicos, segundo a organização  Mundial de Saúde, que define a toximania, como um estado de intoxicação periódico, nocivo ao indivíduo e a Sociedade, definido pelo termo dependência  e drogas que determinam dependência.      
               
Moral Positiva

As perturbações que o álcool, que é um toxico, do grupo dos Psicodislépticos – Euforizantes,  determina  as mais variadas perturbações, de acordo com o grau de resistência de cada um . Vão desde simples irritação local, na perturbação do estado emocional, junto ao Encéfalo; provocando o delírio agitado, o delírio alcoólico simples, e a maior parte das alienações mentais ,podem ser atribuídas  ao álcool.

O Alcoolismo é um dos grandes fatores dos crimes, de suicídios por depressão, como os criminalistas e psiquiatras podem referendar.

Não só a degeneração orgânica, isto é, do soma, mais ainda do psíquico, que influenciam na formação da “ Alma Humana “  das gerações seguintes, no que tange ao Sentimento, a  Inteligência, a Memória e ao Caráter. Não há dúvida, que o álcool é um produto que lesa as células, principalmente os neurônios, já que a maioria dos alcoólatras declarados, já são indivíduos degenerados; não se pode negar, que uma dosagem diária, freqüente, possa determinar, no fim de algum tempo a degeneração na descendência dos indivíduos, que a ele se entregam.

Grande numero de psiquiatras confirmam que o indivíduo procriado na ocasião da embriagues, de um dos seus progenitores, nasce com a tendência à Idiotia.

É evidente que em menor escala alcóolica, não se atinge a idiotia, perceptível, mas provoca danos irreversíveis em menor escala.

A soma  dos casos de alienação mental, dos suicídios e principalmente dos crimes e dos delitos causados pelo alcoolismo, torna-se cada vez maior  em todos os países ditos civilizados, que de civilizados, não tem nada.

Logo após as grandes guerras sempre correram grande epidemias, devido a fraqueza moral da população, estar desgastada, com estado emocional negativo, isto é, a depressão, provocando estado de demência, devido a perdas de parentes e de amigos, com falta de apetite, febres, fraqueza, disponibilidade para  as doenças, principalmente as epidêmicas

O casamento dos muitos jovens, onde ainda não ocorreu a completa formação da estrutura do DNA, isto é, dos cromossomas femininos e masculinos, com certeza geram espécies  descendentes atrofiadas física e mentalmente.

O sexo torna-se responsável por inúmeros distúrbios viciosos, as vezes monstruosos, que acarretam alterações  orgânicas  da vida vegetativa, da inervação sensorial e motora, e da estabilidade do encéfalo. A exaltação deste instinto, com todas as reações egoístas que desperta , altera assim não só a vitalidade individual; sendo um dos grandes fatores etimológicos de todas as moléstias, como ainda compromete a descendência, pela degenerescência de uma prole, saído de genitores já enfraquecidos pelos excessos sexuais. Torna-se fatal a transmissão hereditária, de uma vitabilidade nevropática anormal, e de grande numero de cerebropatias, das quais as mais comuns são a idiotia, a demência precoce e a psiconevrose epiléptica.

A disposição a idiotia, nota-se muito comumente na puberdade, com a entrada em cena do instinto, que até ai dormia, caso uma conveniente educação não tenha conseguido  normalmente orienta-lo. O adolescente torna-se distraído, com pouca inteligência, desmemoriado, com fraca capacidade de síntese ; só se preocupando com as minúcias que facilmente conduzem às obsessões. Sobrevem o retraimento do caráter, as angústias e o definhamento corpóreo. Com o decorrer, surgem as graves alterações cerebrais da demência precoce ou loucura, incontestavelmente  ligadas aos distúrbios iniciais do instinto sexual; confirmadas, pelas alucinações, manifestações demoníacas de íncubos e súculos. A satiríase e a ninfomania, não manifestações físicas destas exaltações. Os epilépticos são grandemente sexuais.

As alterações sensoriais e motoras que são sempre acompanhadas , levam os neurologistas a considera-la como simples nevrose, no entanto os psiquiatras com mais propriedade, enquadram-na entre as psiconevroses.
               
Uma das maiores preocupações morais do sacerdócio católico da Idade Média, foi a repressão do instinto sexual, pela cerebração da castidade. E ao mesmo tempo os católicos operaram a dignificação feminina, promovendo o casamento indissolúvel, que defendia a mulher contra as inconstâncias  caprichosas do homem. Hoje a desordem moral traz o surgimento de uma nova geração que tende a provocar a destruição de sua própria espécie.

TÓXICOS  - Fatores Etiológicos das Dependências das Drogas  - Psicodinâmica dos Vícios – Livro - Tóxicos – Vicente Greco Filho – Editora Saraiva.-1992 . Por não Ter tempo de resumir este tema, favor  consultarem este Livro, que traz substancial  matéria sobre o assunto.

                                               
Arte da Educação – Educar os Sentimentos – É mostrar os  Exemplos, para se Educar os Sentimentos; isto é, subordinar o egoísmo ao Altruísmo; principalmente, com relação aos instintos de ambição ( orgulho e vaidade), que tem necessidade de serem disciplinados ou depurados em seus excessos. Estes dois  instintos, necessário a vida social, como intermediários entre  a Personalidade Fundamental e a Verdadeira Sociabilidade, tornando-se o maior tropeço para a disciplina em geral, e portanto para os progressos individuais e sociais, quando se desenvolve além do limite normal.

O excesso do orgulho, obscurece a inteligência, impedindo-lhe de ver a realidade, quando esta contraria as demasias do amor-próprio. O Orgulho dificulta, no orgulhoso a correção dos seus atos, com a retificação dos erros  da inteligência; Este empecimento, ou tudo que passa sem mesmo o indivíduo se conta do ocorrido, tornando-se um fenômeno inconsciente; ou esse emperramento se realiza deliberadamente, em plena consciência, o que certamente é pior. Isto constitui a teimosia. Dificilmente o orgulhoso confessa os seus erros; quer os mentais , quer os da conduta; mesmo quando os tenha reconhecido  rigorosamente errados.

O aperfeiçoamento pessoal e social exigem por isso, a disciplina deste perigoso instinto. Mas para que a correção deste seja eficaz, é necessário, que seja instituída, desde o berço e continuada durante a infância e a adolescência, sem o que será difícil de ser corrigida quando adulto.

O Orgulho é o pior dos conselheiros na vida social cotidiana.

A Educação do Orgulhoso, é iniciado na infância com a contrariedade da privação de uma gulodice, de um passeio ou de um brinquedo, ou das brincadeiras com algum companheiro; e se a criança for afetuosa, mas no entanto orgulhosa, , devemos nega-la um beijo ou afeto.. A experiência  repetida esclarecerá o sua inteligência, fazendo-a reconhecer o prejuízo que traz a disposição à teimosia, e a grande vantagem da obediência ou submissão, que é a virtude que se opõem ao orgulho. Devemos simultaneamente induzir o sentimento da Veneração. Para isso há necessidade de Educar , subordinando o egoísmo ao Altruísmo.

Arte Jurídica – Os Deveres subordinando os direitos – Vide trabalho deste autor – Conselho Moral da ONU9.doc; Direitos01.doc

6) Arte Política­ – O respeito Hierárquico, é base das relações Políticas. O Cumprimento das Disciplinas – Individuais, Doméstica; Cívica, Ocidental, Oriental e Planetária -  A Noção Profunda de Veneração; a profunda noção de República. – Viver para Outrem –Viver às Claras :  tendo O Amor  por Princípio a Ordem por Base e o Progresso por Objetivo

7)Arte Médica – O Sacerdócio – o Não Comércio da Medicina.

8)            As Artes do Belo – ou Belas Artes : Poesia, Pintura, Escultura, Música, Arquitetura, Mímica ; Filme ( Vídeo –Televisão – Internet) – Teatro; maximizar estas artes no caminho da Expressão dos Sentimentos Altruístas, para propagar a minimizarão dos egoísmo humanos. Por isso que a censura ao egoísmo tem que ser realizado o mais depressa possível; e não deixar que as Famílias tomem a decisão de  administrar tal censura. Ela deve ser  realizada pelos Sacerdotes das Religiões que pregam o AMOR; e fiscalizados pelas Associações de Famílias consagradamente Moralistas, com sobrenome na Educação; indicados pela Cúria da Igreja Católica Apostólica Romana

Hoje em dia, pelo esfriamento do Catolicismo, Augusto Comte sintetizou bem a situação, dizendo: “ O que caracteriza a revolução moderna, é que sobre o ponto de vista Temporal, todos pretendem mandar, e ninguém quer obedecer; e no ponto de vista espiritual, o que é mais grave, todos pretendem ensinar, e ninguém quer aprender.” 
               
                               
 FIM